Quinta-feira, 16 de Setembro de 2021 Sinduscon MG
ÁREA DO ASSOCIADO | Sair
29/05/2014

O futuro vem por meio da criação e desenvolvimento da Engenharia

Autor: Luiz Fernando Pires

Elemento essencial em todos os processos de evolução da sociedade, a Engenharia é uma ciência e uma prática em constante aprimoramento. Os seus diversos ramos são propulsores do desenvolvimento tecnológico e socioeconômico. Por isso, a figura do engenheiro é indispensável aos países que pretendem exercer papel de destaque no mapa geopolítico.

A capacidade de inovação de uma nação depende de vários fatores, entre eles a quantidade dos profissionais de Engenharia. Estimativas da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) apontam que o Brasil tem cerca de 600 mil engenheiros, o equivalente a seis para cada grupo de mil trabalhadores. Nos Estados Unidos e no Japão essa proporção é de 25 para cada mil pessoas economicamente ativas.

E essa conjuntura não é por falta de demanda. Segundo estudos do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), até 2020, o País deve criar mais de 660 mil postos de trabalho para engenheiros. Entretanto, não basta apenas quantidade, é preciso qualidade.

Hoje, o engenheiro deve ser versátil, possuir uma visão sistêmica e saber identificar oportunidades. Por isso, torna-se estratégico ter engenheiros múltiplos, principalmente na construção civil, um dos motores da economia brasileira.

Projetar edificações inteligentes e sustentáveis, bem como participar da estruturação do espaço urbano das cidades demanda ao setor um novo profissional da Engenharia, que deve antever demandas, criar tendências e formular produtos e soluções para necessidades que ainda são insipientes, mas que estarão consolidas daqui a cinco, dez, 20 ou 30 anos.

Isso implica, também, na necessidade de profissionais que se destacam pela capacidade de gestão e liderar processos de pesquisa e desenvolvimento na área energética.

Assim, a Medalha Lucas Lopes, concedida pela Sociedade Mineira de Engenheiros, é mais uma iniciativa que lança luz sobre nomes que, com seu trabalho, promoveram o desenvolvimento do País. Enfim, a Medalha Lucas Lopes é uma justa homenagem a quem se propõe a reinventar a Engenharia e o futuro do Brasil todos os dias.


Luiz Fernando Pires é presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG).

Artigo publicado na edição de março/abril da Revista Mineira de Engenharia