Notícias

Home / Notícias / Material de construção: expectativa de juro alto

Material de construção: expectativa de juro alto

Setor teme retração nas vendas. Os juros para o financiamento de materiais de construção deverão ser reajustados até o final do ano. A informação é do presidente da Associação do Comércio de Materiais de Construção de Minas Gerais (Acomac-MG), Ricardo Caus. Segundo ele, o cenário poderá retrair a demanda no Estado e a expansão do segmento poderá ficar abaixo da expectativa. A alta deverá ocorrer em virtude do cenário econômico mundial, com a crise norte-americana, que vem reduzindo o crédito disponível no mercado. Outro fator que deverá colaborar para o mau resultado é a elevação na taxa básica de juros (Selic), conforme o presidente da entidade. A taxa Selic já foi alterada em quatro ocasiões este ano e alcançou 13,75%. O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) vem elevando os juros para conter os índices de inflação no país. De acordo com Caus, ainda não é possível fazer uma projeção de quanto será a elevação dos juros nos casos de financiamento de materiais de construção. “As instituições financeiras não realizarão reajustes impulsivos e deverão negociar em breve com as empresas”, informou. Com a manutenção dos altos juros para o crédito, de acordo com a avaliação de Caus, a demanda deverá apresentar retração. As estimativas iniciais do setor apontavam para um incremento da ordem de 15% em 2008, em relação ao ano passado. “Com este cenário, o segmento reviu as projeções”. Segundo ele, o crescimento deverá cair para cerca de 10% este ano. Mesmo com a projeção de incremento em um patamar menor, o presidente da entidade acredita que não haverá prejuízos para o setor. Segundo ele, o índice de crescimento em 2008 ainda é alto. Além disso, a mesma estimativa de 10% de expansão nas vendas é mantida para 2009. Conforme ele, o cenário macroecômico e a expactativa do comportamento da economia ainda não refletiram nos negócios do comércio varejista de materiais de construção. Segundo Caus, as vendas continuam aquecidas, apesar de ele não saber estimar qual é o crescimento no acumulado de 2008. Os negócios do segmento são alavancados pela melhora na renda da população e pela expansão do crédito no país, conforme o presidente da entidade. Além disso, a indústria da construção civil vem apresentando crescimento no Estado. De acordo com as estimativas do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG), o incremento deverá ser de 6% este ano na comparação com 2007. Nem mesmo o período de chuvas deverá atrapalhar o comércio varejista de materiais de construção. No período entre novembro e janeiro, tradicionalmente, há uma queda de 10% no volume de negócios, em relação aos três meses anterior. As lojas estão antecipando as vendas para minimizar os efeitos do período. A utilização do 13º salário pelo consumidor para a compra de materiais para reforma de imóveis também deverão contribuir para alavancar as vendas no restante deste ano, conforme Caus. RAFAEL TOMAZ

Votar: