Notícias

Home / Notícias / 2º edição do SeBIM MG promove importantes discussões para o mercado de BIM no país

2º edição do SeBIM MG promove importantes discussões para o mercado de BIM no país

Com o tema BIM na construção 4.0, o 2º Seminário BIM (SeBIM MG) reuniu os principais representantes de entidades, especialistas, técnicos e demais profissionais envolvidos no segmento

Redação: ETC Comunicação

As novidades e os cases de BIM (Building Information Modeling – Modelagem de Informações da Construção) no mercado da Construção Civil foram apresentados durante o 2º Seminário BIM em Belo Horizonte. O evento, considerado um dos principais área no Brasil, foi promovido pela Associação Brasileira de Engenharia de Sistemas Prediais (Abrasip-MG), em conjunto com a Câmara Brasileira de BIM em Minas Gerais, o Sebrae e o Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG). O encontro foi realizado no dia 26 de junho, no Auditório do Sebrae Minas.

Com o tema “BIM na Construção 4.0 – onde estamos e onde queremos chegar”, o SeBIM MG fomentou o debate em torno das transformações pelas quais vem passando o mercado de BIM e apontou as principais soluções e desafios para as edificações quando os projetos estão usando a metodologia. A programação teve o foco no aumento da produtividade e eficácia em todos os processos, trazendo cases do setor, novidades em inovação que podem contribuir para elevar a qualidade dos projetos e as atualizações  das Estratégias de BIM no Brasil do Governo Federal, através da palesta de Talita Saito, representente do Ministério da Economia.

O arquiteto Luiz Gazzi, diretor do escritório de arquitetura Oscar Ferreira, diz que já trabalha com o BIM há alguns anos e vem colhendo bons resultados em seus projetos. Ele, que palestrou na última edição do SeBIM MG, enfatiza a importância dos eventos para acompanhar a evolução do BIM no Brasil e no mundo. “Percebo que, a cada dia que passa, as empresas possuem mais cases concretos de BIM. Atualmente, os profissionais já reconhecem a importância do BIM e, no meu caso, essa percepção foi progressiva, à medida que o escritório foi implementando as licenças e inserindo a metodologia mais intensamente na rotina de trabalho”, conta.

Para a orientadora de BIM Daiane Moraes, da escola Desenhar, eventos como o SeBIM são imprescindíveis para que os profissionais compreendam que a utilização da metodologia é uma realidade inadiável nas empresas. “O seminário é muito rico para a cadeia construtiva e saio daqui evangelizando ainda mais o BIM aos meus alunos. Ainda não tenho um projeto completo utilizando a tecnologia, mas espero ter em breve”, afirma.

De acordo com o engenheiro Mauro Tomazzi Prosdocimi, da Prosdocimi Consultoria, o BIM, com o tempo, vai dominar o mercado. “Infelizmente, no Brasil, a construção civil ainda utiliza métodos muito rústicos. Quando pensamos no BIM, por exemplo, podemos dizer que é uma situação utópica para muitas construtoras e profissionais. No entanto, devemos correr atrás dessa evolução para aumentar a produtividade na indústria. E é nesse sentido que o SeBIM e outros eventos do segmento são grandes impulsionadores de tecnologias tão sensacionais como o BIM. Já participei da 1º edição e com certeza participarei do próximo em 2020”, explica.

Abertura

Para abrir o evento, Lucas Andrade Batista, presidente da Câmara Brasileira de BIM, falou sobre a importância do seminário para estimular e aumentar o conhecimento na área de BIM e agradeceu a presença do público. “O BIM é um grande protagonista da construção civil e é gratificante ver que as empresas, cada vez mais, estão enxergando o BIM como um diferencial para se destacarem no mercado”, pontual.  Além de Batista, o início do SeBIM contou com as palavras de Marden Marcio Magalhães, diretor de operações do Sebrae-MG, Eduardo Moreira, diretor da área de Materiais, Tecnologia e Meio Ambiente do Sinduscon-MG, Bruno Marciano, presidente da Abrasip-MG, Marco Aurélio de Barcelos Silva, Secretário de Estado de Transportes e Obras Públicas e, em vídeo, Teodomiro Diniz Camargo, presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae Minas.

Aconteceu pela manhã

Na primeira parte do evento, o 2º SeBIM MG contou com as palestras “O BIM na Construção 4.0”, de Ricardo Aloysio e Silva, do Sistema FIEMG/SENAI, “Ciclo BIM na construtora SINCO”, de Priscila Castro, da SINCO Engenharia, “Protótipos para Canteiro 4.0 – Viabilizando o BIM com o LEAN em um obra predial residencial”, de Lucas Bicalho, da DMC Construção e Consultoria, “Desafios da implementação do BIM na engenharia”, de Luciano Pereira, da CONNECT Projetos e Construções e “Onde Estamos – Panorama Geral”, de Jefferson Dias Santos, do Sebrae-MG.

O que os palestrantes disseram?

  • Ricardo Aloysio e Silva – Sistema FIEMG/SENAI: “O BIM exige mais planejamento e menos execução, mais planejamento em conjunto, é preciso estar com todas as informações conectadas e compatibilizadas e requer conhecimento interdisciplinar”.
  • Priscila Castro – SINCO Engenharia: “BIM é persistência e exige adequações em cada etapa do projeto. Na SINCO exploramos novas e emergentes tecnologias e técnicas de construção, gerenciamento de informações e manufatura digital para melhorar a segurança e preocupamos com a qualidade e a produtividade durante a construção”.
  • Lucas Bicalho – DMC Construção e Consultoria: “Precisos pensar fora da caixa com o BIM. Para isso, é preciso um alinhamento estratégico, com gerenciamento de pessoas, liderança de equipes e adequação do fluxo de informações”.
  • Luciano Pereira – CONNECT Projetos e Construções: “Com o BIM na empresa temos benefícios comerciais, identificamos facilmente as incompatibilidades, temos agilidade no levantamento de informações, facilidade na instrução de equips e melhor organização da documentação”.
  • Jefferson Dias Santos – Sebrae-MG: “No Brasil, já está acontecendo muitas ações relacionadas ao BIM. Temos grandes seminários, redes de discussões com outros países, além de pesquisas desenvolvidas para saber como está implementação do BIM nas empresas”.

Segunda parte

À tarde, o 2º SeBIM MG apresentou os seguintes temas: “Rubk, o BIM 5D reimaginado”, de Rafael Bahr Esposito da Rocha, da Mega Sistemas Corporativos, “MAXINST EAM BIM: O caminho para a Construção 4.0”, de Elberte Gualberto Ponpelupe, Fundador & Ceo da Maxinst, “Tecnologia BIM na oferta de serviços em aço”, de Michell Ribeiro Lopes, da Arcelor Mittal, “Contratação BIM – Erro e Acertos – Público (Santa Catarina)”, de Rafael Fernandes Teixeira da Silva, Coordenador de Projetos Especiais na Secretaria de Planejamento do Estado de Santa Catarina,  “Contratação BIM – Erro e Acertos – Público (Minas Gerais)”, de Tiago Randazzo Rabelo, engenheiro Eletricista TJMG/Gepro, “Contratação de projetos em BIM para construtoras”, de Ana Bárbara Ivo da Fonseca e Camila de Andrade Kfouri, da Método Engenharia, “Capacitação de recursos humanos na Estratégia BIM-BR”, de Eduardo Toledo Santos, professor da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, “Estratégia BIM BR: como o Governo Federal vai acelerar a disseminação do BIM no Brasil”, de Talita Tormin Saito, da Secretária Especial de Produtividade Emprego e Competitividade – Ministério da Economia

O que os palestrantes disseram?

  • Rafael Bahr Esposito da Rocha – Mega Sistemas Corporativos: “As empresas que desejam se sobressair no mercado devem oferecer experiência completa aos seus clientes e o BIM vem para oferecer várias oportunidades nesse sentido”.
  • Elberte Gualberto Ponpelupe – Fundador & Ceo da Maxinst: “Com o BIM a pessoa adquire uma solução acima da média, que vai além do que ela realmente precisa. O cliente não vai pagar mais caro por uma coisa que não vai usar ou ter uma solução que ainda está faltando algum detalhe para sua operacionalidade”.
  • Michell Ribeiro Lopes – Arcelor Mittal: “E os números já são bem melhores na Arcelor Mittal com a utilização do BIM: reduzimos o tempo de construção de uma laje de 13 para 9 dias, reduzimos 33% da mão-de-obra, de 21 para 14 armadores e economizamos 38,5% no custo total da estrutura”.
  • Rafael Fernandes Teixeira da Silva – Coordenador de Projetos Especiais na Secretaria de Planejamento do Estado de Santa Catarina: “Com o processo de evolução das tecnologias na construção civil, algumas mudanças como um processo de gestão de projetos, a exigência da figura do coordenador de Projetos, o trabalho colaborativo e a valorização da atividade intelectual são inevitáveis”.
  • Tiago Randazzo Rabelo – engenheiro Eletricista TJMG/Gepro: “O TJMG vê algumas motivações importantes para a utilização do BIM, já que tem o aumento na busca por maior precisão nos projetos para minimizar os erros de compatibilização e de levantamento de materiais. Hoje, estamos no estágio 1 de maturidade e caminhado para a 2º fase, desenvolvendo o BIM Mandate e os Templates, validando o processo com as famílias e estudando novas ferramentas, por exemplo”.
  • Ana Bárbara Ivo da Fonseca e Camila de Andrade Kfouri – Método Engenharia: A definição adequada do escopo é determinante para o sucesso do empreendimento. Além disso, é importante definir as condições ideais para o desenvolvimento do trabalho para se adaptar às adversidades impostas em cada projeto contratado”.
  • Eduardo Toledo Santos – professor da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo: A utilização do BIM exige que o profissional tenha conhecimento desse novo processo e esteja capacitado para as implicações decorrentes dessa mudança de paradigma. Isso é fator fundamental para que o BIM seja efetivamente compreendido, adotado e consolidado no mercado brasileiro”.
  • Talita Tormin Saito: Secretária Especial de Produtividade Emprego e Competitividade – Ministério da Economia: “Com a disseminação do BIM no Brasil teremos mais transparência nos processos, melhoria na gestão, aumento da produtividade, diminuição dos custos e dos prazos, melhora na comunicação e nos trabalhos colaborativos, maior rigor técnico, sustentabilidade, facilidade na detecção de conflitos, melhoria no desempenho e maior flexibilidade do trabalho”.

Parcerias

A 2ª edição do SeBIM contou com o patrocínio da Arcelor Mittal, da Maxinst, da AX4B, da MAPData, da Mega Sistemas Corporativos, da Amanco, da Universidade FUMEC e da Humanus Soluções Essenciais.

O Seminário recebeu os apoios institucionais da Associação Brasileira de Engenharia e Consultoria Estrutural (ABECE), da Associação Brasileira De Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento (ABRAVA), da Associação Mineira de Engenharia de Incêndio (AMEI), da Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (AsBea), da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG), do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (SINDUSCON-MG), do Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva (SINAENCO), do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU), do Colegiado das Entidades de Arquitetura e Engenharia Consultiva (CEAEC), do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais (CREA), do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais Júnior (CREA júnior-MG), da Associação Brasileira de Engenheiros Eletricistas (ABEE), do Instituto Metodista Izabela Hendrix, da Associação Brasileira de Cimento Portland, da Construtech Innovation, da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas), do Colegiado de Entidades de Arquitetura e Engenharia Consultiva, do GGPD – Grupo de Gestão de Projetos e Desempenho, do Instituto Politécnico da Universidade Católica de Minas Gerais, do Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DEER/MG), da Raja Ventures, da Raja Valley, do Governo do Estado de Minas Gerais, da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e do Sindicato da Indústria da Construção Pesada no Estado de Minas Gerais (SICEPOT-MG). Além disso, a 2ª edição do SeBIM conta com as empresas parceiras da Abrasip-MG Neocontrol, Loja Elétrica e LUX Indústria e Comércio de Materiais Elétricos.

 

 

Votar: